Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Imobiliário Habitação Casas a um euro: Mais um município d...

Casas a um euro: Mais um município de Itália adere a esta iniciativa

O município Romana, na ilha italiana Sardenha, também aderiu à iniciativa de vender habitações a um preço simbólico. Esta pequena aldeia tem cerca de 500 habitantes e o objetivo é promover a segurança destas propriedades e, paralelamente, evitar o despovoamento.

Casas a um euro: Mais um município de Itália adere a esta iniciativa

A lista dos municípios italianos que vendem casas por 1 euro está a crescer. De acordo com o idealista, que adianta com a informação, chegou a vez do município Romana, na ilha italiana Sardenha, a aderir a esta iniciativa. O objetivo desta pequena aldeia com cerca de 500 habitantes, é evitar o despovoamento.

Segundo a plataforma, Romana, na província de Sassari, situa-se 267 metros acima do nível do mar na região de Meilogu. A localidade encontra-se num planalto formado por rochas vulcânicas e calcárias. O rio Temo corre pelo território municipal e não está longe dos centros de Alghero e Sassari e das estâncias balneares da zona.

Tal como nos outros municípios italianos, em Romana "há várias casas vazias porque pertencem a pessoas que já não vivem na aldeia", revelou Lucia Catte, presidente da câmara, ao idealista. Segundo a autarca, estas casas "precisam de trabalhos de manutenção e, em alguns casos, de uma renovação mais extensa". Por um lado, a administração gostaria de promover a segurança destas propriedades, mas, por outro, "um objetivo adicional é repovoar a aldeia", sustentou Lucia Catte.

A solução da iniciativa 'Casas por 1 euro' seria capaz de satisfazer todas as partes, uma vez que, para garantir a renovação das propriedades abandonadas, o município teria de adiantar o capital para realizar a obra, valor esse que depois os proprietários teriam então de reembolsar. "No entanto, os proprietários estão relutantes em deixar que as casas sejam vendidas por 1 euro, apesar de também se queixarem dos impostos que têm de pagar sobre os apartamentos que não utilizam", acrescenta a presidente da câmara.

Esta iniciativa foi lançada pelo município no início de junho e já chegaram várias manifestações de interesse. Ainda assim, a administração está concentrada em convencer os proprietários de casas abandonadas a vendê-las por um preço simbólico.

Faz ainda notar o idealista que a aldeia tem também uma ligação à Internet por fibra e um jardim de infância. 

Leia Também: Aldeia na montanha em Itália também está a vender casas a um euro

Campo obrigatório