Meteorologia

  • 04 AGOSTO 2021
Tempo
27º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Imobiliário Habitação Tem 47 andares e 256 apartamentos: E...

Tem 47 andares e 256 apartamentos: Eis o maior arranha-céus da UE

Após 17 anos de construção, o maior projeto residencial da União Europeia foi finalmente concluído. Com 187 metros de altura, os apartamentos rondam os 257.000 euros e o preço de uma penthouse pode chegar aos 2 milhões de euros. As suas torres gêmeas também possuem o elevador mais rápido da Espanha, que sobe a uma velocidade de 4,2 metros por segundo e pode chegar ao último andar em 52 segundos.

Intempo em Benidorme -

Com 187 metros, os apartamentos rondam os 257.000 euros e o preço de uma penthouse pode chegar aos 2 milhões de euros. 

Este é o maior arranha-céus de imóveis destinados à habitação da União Europeia. Depois de 17 anos a ser construído, o edifício conhecido como InTempo soma 187 metros de altura e situa-se em Benidorm, na Espanha. De acordo com o The Guardian, que avança com a notícia, o novo empreendimento é constituído por duas torres gémeas que se ligam no topo com uma ponte em forma de diamante e possuem também o elevador mais rápido de Espanha, que chega ao 47.º andar em menos de um minuto.

Segundo o jornal britânico, os apartamentos rondam os 257.000 euros, mas o preço de uma penthouse pode chegar aos 2 milhões de euros. Mas mesmo em tempos pandémicos, quase metade dos 256 apartamentos já estão reservados.

Dadas as circunstâncias da Covid-19, Benidorm também sofreu impactos significativos no que toca a visitantes estrangeiros, tal como muitas cidades por todo o mundo. Mas mesmo assim, segundo o promotor Uniq Residential, 100 dos 256 apartamentos da InTempo já foram pré-vendidos, sendo que 60% para cidadãos espanhóis e os outros 40% para russos, escandinavos, alemães e também belgas.

No entanto, os britânicos, que representam 40% dos visitantes de Benidorm, não constam nesta estatística, segundo revela Michelle Baker do canal de youtube, Benidorm Forever ao The Guardian.

Este novo projeto residencial já passou por muitas mãos, mas o seu atual proprietário, o fundo SVPGlobal, pagou 60 milhões de euros para adquirir as dívidas do edifício com o Sareb, o chamado "banco mau" criado para limpar as dezenas de milhares de propriedades inacabadas após o estouro da bolha imobiliária espanhola em 2008.

Leia Também: Eis o edifício residencial mais alto do mundo. Fica em Nova Iorque

Campo obrigatório