Meteorologia

  • 25 JULHO 2021
Tempo
27º
MIN 18º MÁX 27º

Edição

Finanças Crédito à habitação Crédito da casa: Juros em mínimos hi...

Crédito da casa: Juros em mínimos históricos. "Prepare-se para a subida"

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de juro média no mercado para novos contratos de crédito habitação situou-se nos 0,68% em maio de 2021. Mas "mais tarde, ou mais cedo, hão de subir". Assim, prepare-se já e saiba o que fazer.

Crédito da casa: Juros em mínimos históricos. "Prepare-se para a subida"

As taxas de juro no crédito habitação estão em mínimos históricos. Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados esta terça-feira, a taxa de juro média no mercado para novos contratos de crédito habitação situou-se nos 0,68% em maio de 2021. Mas "mais tarde, ou mais cedo, hão de subir", faz notar o consultor em finanças imobiliárias, Gonçalo Rodrigues, em artigo para o Doutor Finanças.

Segundo o consultor em finanças imobiliárias, as taxas de juro têm descido nos últimos tempos por via da queda dos spreads praticados pela banca em Portugal e pela baixa dos indexantes (taxa de juro Euribor).

Note que a taxa Euribor a 12 meses, que serve de referência para os contratos de crédito habitação em Portugal, tem estado sempre em níveis negativos nos últimos 4 anos, situando-se em -0,481% em maio passado. Ainda assim, a expectativa é que venha a subir a prazo, afirma Gonçalo Rodrigues no artigo. Nesse sentido, preparar-se já e saiba o que fazer quando essa altura chegar. Ora veja.

Aproveite a conjuntura atual

De acordo com o consultor em finanças imobiliárias, a conjuntura atual de spreads baixos e indexantes em mínimos históricos é propícia à contratação de crédito habitação e propícia à renegociação do seu crédito.

Caso tenha contraído um crédito habitação antes de 2020, muito provavelmente terá um spread bem superior àquele que os bancos em Portugal atualmente praticam, afirma Gonçalo Rodrigues.

Por isso, o momento pode ser interessante para procurar renegociar as condições do seu crédito ou mesmo transferi-lo para uma outra Instituição bancária que lhe ofereça melhores condições, sustenta.

Faz ainda notar o consultor que poderá ainda procurar reforçar o valor da sua hipoteca. Na prática, isso passa por pedir mais dinheiro emprestado ao banco em melhores condições de financiamento.

Mas, o spread não é tudo

Num eventual processo de negociação dos termos do seu contrato de crédito habitação tenha em atenção que o spread não é tudo, alerta o consultor.

Também deverá ter em consideração os prémios de seguro, custos com contratação, comissões cobradas e custos relacionados com vendas de produtos financeiros e cartões, do próprio banco, que apesar de proporcionarem um spread mais baixo, acabarão por encarecer toda a operação de crédito.

No poupar está o ganho

Além de tudo isto, procure sempre reservar um valor extra mensal, acima do montante da sua prestação atual. "Guarde esse dinheiro, acumulando-o", revela Gonçalo Rodrigues.

Assim, quando a prestação subir, terá poupança suficiente para fazer face a esse aumento durante algum tempo, sustenta.

Leia Também: Crédito à habitação. Taxa de juro implícita desceu para 0,811% em junho

Campo obrigatório