Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2022
Tempo
10º
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Finanças Investimentos Conheça as plataformas de crowdfundi...

Conheça as plataformas de crowdfunding imobiliário a operar em Portugal

Entidade responsável pela supervisão e regulação destes financiamentos colaborativos é a CMVM e, de acordo com o seu diretório, até à data, regista um total de seis inscrições de plataformas de financiamento colaborativo, sendo que três delas visam financiar projetos do setor imobiliário: Housers, Querido Investi numa Casa! e SeedImo. 

Conheça as plataformas de crowdfunding imobiliário a operar em Portugal
Notícias ao Minuto

15:28 - 04/06/21 por Notícias ao Minuto 

Casa crowdfunding imobiliário

Também conhecido como financiamento colaborativo, o conceito de crowfunding está regulamentado na Lei nº 102 de 24 de Agosto de 2015 que o define como "o tipo de financiamento de entidades, ou das suas atividades e projetos, através do seu registo em plataformas eletrónicas acessíveis, a partir das quais procedem à angariação de parcelas de investimento provenientes de um ou vários investidores individuais."

Quem os supervisiona e regulamente é a Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). E de acordo com o seu diretório, até à data, regista um total de seis inscrições de plataformas de financiamento colaborativo, sendo que três delas visam financiar projetos do setor imobiliário: Housers, Querido Investi e SeedImo, revela o portal imobiliário Imovirtual, na sua página oficial.

Housers

Um projeto espanhol que chegou ao mercado português em 2017 com o objetivo de "possibilitar a ajuda a empresas que necessitam de financiamento por parte do público geral", lê-se na apresentação da Housers, segundo o portal.

Opera em três segmentos distintos: projetos empresariais, através da Housers Corporate; projetos de energias renováveis, por intermédio da Housers Green; e projetos imobiliários por meio da Housers Real Estate.

De acordo com o Imovirtual, este último, nasceu para "democratizar o investimento no setor imobiliário, oferecendo aos investidores ativos palpáveis, uma vez que os investimentos estão vinculados a bens imobiliários", segundo a primeira plataforma pan-europeia de investimento.

A Housers garante ainda a oportunidade de "construir um património a longo prazo e maximizar as suas poupanças através de rendimentos mensais."

SeedImo

Esta start-up portuguesa estreou-se na ultima edição presencial da Web Summit, em 2019, note-se. A SeedImo é uma plataforma de crowdfunding imobiliário que junta consultores imobiliários e investidores. Faz também parte do portfólio da CMVM e é possível solicitar financiamento com o preenchimento de um formulário no website da plataforma.

Querido, Investi numa Casa!

Assume-se como pioneira na angariação e gestão de financiamento colaborativo orientado para investimentos imobiliários, afirma o Imovirtual.

A Querido, investi numa casa dá a possibilidade aos pequenos investidores de alcançarem "ativos imobiliários premium, tal como fazem os grandes investidores e os fundos imobiliários." E, para isso, "basta criar uma conta na aplicação para concretizar um atrativo investimento imobiliário."

De acordo com o financiamento colaborativo, sustenta o portal, não são cobradas quaisquer taxas ou comissões aos investidores em nenhuma das fases do processo.

Leia Também: Plataforma portuguesa de crowdfunding imobiliário tem novo projeto

Campo obrigatório