Meteorologia

  • 18 JUNHO 2021
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 22º

Edição

Imobiliário Habitação EUA: Interesse em comprar casa cai p...

EUA: Interesse em comprar casa cai para nível mais baixo em dez anos

Compradores de casas são os mais pessimistas, graças à oferta restrita e aos preços altos, revelam os dados do National Housing Survey.

EUA: Interesse em comprar casa cai para nível mais baixo em dez anos

Nos EUA, a oferta de casas à venda está num nível recorde, com os preços a subir a um ritmo mais rápido, em quase duas décadas, afirma a CNBC.

Nesse sentido, não é de admirar que o interesse em comprar casa entre os compradores tenha caído para o nível mais baixo na história de 10 anos, de acordo com os dados do National Housing Survey.

A percentagem de entrevistados que revelou que é um bom momento para comprar uma casa diminuiu de 53% para 47%, enquanto o número de quem disse que é um mau momento para comprar aumentou de 40% para 48%.

Os inquiridos desta pesquisa citaram, em grande parte, os preços altos e a oferta restrita como as principais razões para o seu pessimismo, refere Doug Duncan, vice-presidente sênior e economista-chefe da Fannie Mae.

Em declarações à CNBC, o responsável revela ainda que “a diminuição no interesse de compra de casas provavelmente indica que alguns consumidores, podem estar a tentar, mas sem sucesso, comprar uma casa devido à competição por poucas casas listadas”.

Consumidores com rendas entre os 50 mil dólares americanos e os 100 mil estão particularmente pessimistas. Isto ocorre porque a escassez de casas para venda é mais aguda na extremidade inferior do mercado, refere a CNBC, de modo que é cada vez mais difícil encontrar moradias.

A competição por moradia não parece estar a diminuir. Na verdade, a competição está a atingir níveis recordes.

Demorou uma média de 19 dias para vender uma casa durante o período de quatro semanas, encerrado em 2 de maio, de acordo com a corretora de imóveis, Redfin.

Esta é uma queda em relação a uma média de 35 dias durante o mesmo período de um ano atrás, sublinhe-se. Cerca de 45% das casas à venda foram contratadas em menos de uma semana.

Por seu lado, 48% das casas foram vendidas por mais do que o seu preço de tabela, sendo um aumento de 20 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os preços das casas subiram mais de 11% em relação ao ano anterior, devido à alta competição que está a resultar numa guerra de licitações. Estão também a subir para as novas construções, à medida que os seus custos disparam.

“No momento, estamos a assistir a um aumento substancial nos preços das casas, que pode ser um precursor de uma inflação mais generalizada em toda a economia”, disse Daryl Fairweather, economista-chefe da Redfin, à CNBC.

"Os preços da madeira estão subindo, o que elevou os preços de novas casas e indiretamente elevou os preços das casas existentes", sustenta.

Leia Também: EUA: Os preços das casas em fevereiro registam o maior ganho em 15 anos

Campo obrigatório