Meteorologia

  • 14 ABRIL 2021
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 20º

Edição

Imobiliário Arrendamento Porto e Lisboa a registar maior qued...

Porto e Lisboa a registar maior queda dos preços médios nos arrendamentos

As maiores quebras de valores médios de casas para arrendar em março foram vistas no Porto (19,1%) e em Lisboa (15,8%), face a mesmo período homólogo, revela estudo recente do Imovirtual.

Porto e Lisboa a registar maior queda dos preços médios nos arrendamentos

Dados de um estudo do Imovirtual, portal imobiliário de referência, divulgados esta quarta-feira, mostram que os distritos que registaram a maior quebra de preços médios no arrendamento, em março, face ao mesmo mês do ano passado, foram o Porto com uma descida de 19,1%, ao passar de 1.091€ para 882€, Lisboa com uma queda de 15,8% (de 1.487€ para 1.252€) e Aveiro a decrescer 14% (de 725€ para 623€). 

Em sentido contrário, ainda em março, face a mesmo período homólogo, Viseu (+17,6%) destacou-se com a maior subida ao passar dos 429€ para 504€ de valor médio anunciado. Depois surgiram a Guarda (+16,8%) e Beja (+13,7%). 

Em comunicado, ainda no arrendamento, em março, mas face ao mês anterior, Bragança é o distrito que teve o maior crescimento (+2,3%) ao passar de 372€ para 381€ e em seguida neste capítulo surge o Porto (+1,7%) ao passar dos 867€ para 882€. Em sentido inverso, Beja (-14,2%) e Vila Real (-6,5%) apresentam as quebras do preço médio mais significativas na comparação com fevereiro de 2021.

“Os maiores distritos portugueses são os que mais se ressentem em termos do valor do arrendamento desde o surgimento da Covid-19. As quebras no Turismo tiveram um impacto tremendo em toda na economia destas grandes cidades e o imobiliário não foi exceção. Mas a procura no nosso Portal continua a aumentar de mês para mês e este é um bom indicador para todo o setor. Por outro lado, o preço de venda continua a manter-se estável e a procura por imóveis de maior dimensão parece ser uma tendência que se irá manter nos próximos tempos”, afirma Ricardo Feferbaum, Diretor Geral do Imovirtual.

O cenário muda nas vendas de casas com o registo da subida dos preços médios

Em termos absolutos, o preço médio anunciado de venda foi de 353.731€ em março de 2021, um aumento de 1,3% face a fevereiro de 2021 e uma subida de 0,4% em relação a março do ano passado, revela o mesmo comunicado.

Os distritos que mais se destacam pela positiva face a fevereiro são Évora (+9,2%), Lisboa (+2,1%) e Beja (+1,5%). Em sentido oposto, Vila Real (-2,7%) e Leiria (-1%) surgem com os maiores decréscimos.

A procura por moradias para compra continua a aumentar. Na comparação entre março de 2021 e o período homólogo do ano anterior verifica-se um crescimento de 96,8%.

Sublinhe-se que este estudo, baseado em dados disponíveis na plataforma do Imovirtual, no qual analisa a evolução dos preços médios anunciados de venda e arrendamento em Portugal. Os dados referem-se ao comparativo de março com fevereiro deste ano e com o período homólogo (março) do ano passado.

Leia Também: Preço de venda de casas aumentou 17,4% no primeiro trimestre

Campo obrigatório