Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 19º MÁX 27º

Circularam mais 5 mil veículos por dia na VCI do Porto em 2023

Cerca de 130 mil veículos circularam por dia, em 2023, em média, nos troços da Via de Cintura Interna (VCI) no Porto, quase mais 5 mil do que em 2022, segundo dados do IMT e cálculos da Lusa.

Circularam mais 5 mil veículos por dia na VCI do Porto em 2023
Notícias ao Minuto

09:32 - 23/03/24 por Lusa

Auto IMT

Segundo os dados do Relatório de Tráfego do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), e cálculos da Lusa, para os troços da VCI situados no concelho do Porto, circularam diariamente 130.056 veículos entre as pontes do Freixo e da Arrábida, atravessando a cidade.

Os números representam um aumento de cerca de cinco mil veículos face a 2022, ano em que a média anual do tráfego médio diário atingiu os 125.582 na VCI no Porto.

No ano passado, o tráfego da VCI no Porto praticamente igualou os números de 2019, ano anterior à pandemia de covid-19, em que circularam 131,2 mil veículos por dia.

O relatório do IMT faz um cálculo do tráfego médio diário mensal, tendo a Lusa calculado a média dos valores apurados para cada um dos 12 meses, obtendo uma média anual.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o Porto tinha 231.800 habitantes nos Censos 2021, o que significa que um número de pessoas superior a mais de metade da população da cidade (56,1%) atravessa a VCI diariamente.

Evidenciando a maior concentração de veículos no Porto, os números do IMT, calculados numa dimensão anual, revelam que se forem incluídos os troços da VCI em Gaia, menos congestionados (especialmente na A44), a média desce para os 110,8 mil veículos por dia em 2023, o que, ainda assim, significou um aumento face aos 106,9 mil registados em 2022, mas ainda abaixo de 2019 (115,8 mil).

Também as vias adjacentes à VCI registaram elevados níveis de trânsito, tendo a Avenida AEP registado 132,8 mil veículos por dia e o troço da A3 entre a VCI e o nó de Águas Santas/A4 121,7 mil em 2023.

Os 526 acidentes registados nos troços da VCI no Porto causaram, em 2023, dois mortos e um ferido grave, um "problema de sinistralidade" que o presidente da Câmara, Rui Moreira, considerou, dia 12 de março, ser "muito preocupante".

"Sempre que há um acidente na cidade do Porto, a cidade do Porto para. É urgente que, seja competência metropolitana, seja ela qual for, possa interferir junto daquilo que é uma via que, neste momento, é uma causa enorme de problemas", referiu Rui Moreira, quando questionado se entidades autárquicas ou metropolitanas poderiam ter competências diretas para gerir vias de cariz local como a VCI.

O autarca também já admitiu, no ano passado, que trânsito na VCI coloca em risco a meta municipal de atingir a neutralidade carbónica em 2030, lamentando ter pouco poder direto sobre o tema.

Na sexta-feira, o secretário de Estado Adjunto e das Infraestruturas, Frederico Francisco, considerou que o problema do trânsito na VCI só se resolve com recurso ao transporte público e desincentivo ao automóvel.

Questionado após a assinatura do protocolo de reabertura da Linha de Leixões, circular ferroviária do Porto que poderá ser uma das alternativas à VCI, Frederico Francisco considerou que "todo e qualquer investimento nos transportes públicos na Área Metropolitana do Porto, em particular no acesso à cidade do Porto, ou às imediações da cidade do Porto, contribui e ajuda a descongestionar a VCI".

Em fevereiro, o atual Governo remeteu para um próximo executivo as decisões sobre a reordenação do trânsito na VCI e vias adjacentes que a alimentam.

Um grupo de trabalho criado em 2020 propôs uma redução tarifária no último pórtico sul da A28, um novo pórtico na A28, a sul da interseção com a A41, a eliminação dos dois pórticos existentes no tramo poente da A4 e a introdução de um novo pórtico entre a A4 (nascente) e a A3 (tramo sul).

Na Assembleia Municipal, o movimento que apoia Rui Moreira fez aprovar uma moção em que instava o Governo a isentar, por um período experimental de um ano, as portagens na A41-CREP, bem como a taxar "todo o tráfego de atravessamento", exceto "aquele que tem como origem e destino a cidade do Porto".

Recomendados para si

;

Gosta de automóveis? Toda a informação num clique

Seja a Gasolina, diesel, elétricos, hidrogénio e dicas, acompanhe as mais recentes novidades sobre desporto motorizado

Obrigado por ter ativado as notificações de Auto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório