Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

GPL é alternativa válida? "Permite uma poupança até 45%"

Estivemos à conversa com Rui Aires, Diretor do Negócio de Estações de Serviço da Repsol em Portugal.

GPL é alternativa válida? "Permite uma poupança até 45%"

Numa altura em que o preço dos combustíveis continua na ordem do dia, muito se tem falado nas alternativas à gasolina e ao diesel. O AutoGás é uma delas e tem inúmeros benefícios não só para a carteira de quem opta por um veículo GPL, como também para o ambiente. 

Sabia que os veículos movidos a gás ajudam a reduzir o efeito de estufa, reduzem as emissões de CO2 em 14% e minimizam os níveis de ruído em 50%? Foi precisamente para estas vantagens que Rui Aires, Diretor do Negócio de Estações de Serviço da Repsol em Portugal, sublinhou numa entrevista ao Auto ao Minuto.

A possível poupança com o GPL, os benefícios do AutoGás para o ambiente, tal como o futuro desta alternativa foram os pontos de partida para uma conversa esclarecedora sobre o tema.

Mais do que uma nova 'vida', acredito num crescimento tardio do gás e que o melhor está para virNa última década, o consumo global do AutoGás cresceu 50%. Como explica estes números?

As viaturas movidas a AutoGás têm uma panóplia de benefícios, que vão para além da vertente económica, como a ambiental, securitária, de compatibilidade e durabilidade do motor. Estes dois últimos préstimos, ao longo dos anos, foram sendo clarificados e, por conseguinte, são considerados aquando da escolha deste tipo de combustível. Nos últimos dez anos, esta fonte de energia teve um incremento considerável, sendo mesmo o combustível alternativo mais utilizado em todo o mundo, com 26 milhões de veículos a nível mundial, sendo que destes 26, 15 milhões se encontram na Europa. 

Em alguns países, como é o caso de Espanha, o GPL Auto – designação também utilizada – tem o certificado de ECO. As cidades, principalmente as grandes metrópoles, têm vindo a restringir o tráfego nos seus centros, devido aos elevados níveis de emissões de CO2 e NOx, e por isso, a procura deste tipo de solução com este atestado ambiental, é uma solução.

Segundo os mais recentes dados da APETRO, no 3º trimestre de 2021, o consumo desta energia foi superior em relação ao período homólogo, alcançando um total de 8,4 milhares de toneladas durante o período em análise. Em comparação com o período homólogo e ao trimestre anterior, verificou-se um aumento de 0,64 milhares de toneladas (+7,7%) e de 1,7 milhares de toneladas (+25,4%), respetivamente. 

Acreditando a Repsol na multienergia, na diversificação das fontes de energia como garante da transição energética, a ampliação da rede de Estações de Serviço com este tipo de combustível tem sido natural e notória. Atualmente, em Portugal contamos com mais de 90 Estações de Serviço com AutoGás. Em termos ibéricos, suplantamos as 470 Estações de Serviço com este combustível. Uma clara demonstração de confiança nesta solução energética.

Acredita que com os atuais preços dos combustíveis, o gás ganhará uma nova 'vida'?

Existe espaço para o AutoGás crescer, sim. Não apenas pela trajetória das cotações do Brent, conjugada com a elevada carga fiscal, que faz com que preços médios de venda ao público (PMVP) dos combustíveis líquidos estejam elevados, mas também pelas características do AutoGás e atualizações legislativas, como o caso da lei que prevê que os veículos abastecidos com GPL Auto possam estacionar em parques de estacionamento fechados e abaixo do nível do solo, à semelhança do que acontece com grande parte dos países europeus.

Da mesma forma de que as viaturas alimentadas por eletricidade, os veículos movidos a AutoGás também ganharão expressão se a rede de abastecimento aumentar, se o consumidor compreender todos as vantagens e se, à imagem de outros países, existirem incentivos concernentes com os benefícios ambientais, claros na utilização desta fonte de energia. Mais do que uma nova 'vida', acredito num crescimento tardio e que o melhor está para vir.

O uso do AutoGás permite uma poupança até 45% em relação aos combustíveis tradicionais, uma vez que o seu preço é, aproximadamente, metade do da gasolina, embora o consumo seja superiorConsegue quantificar quanto pode poupar uma pessoa que tenha um veículo movido a gás em comparação com um condutor que faça 1000 quilómetros por mês num automóvel a gasolina?

A poupança está correlacionada com diversas variantes, por exemplo, o consumo médio do veículo, o PMVP da gasolina, o PMVP do AutoGás, o custo de conversão, entre outros. Se considerarmos os últimos meses, o uso do AutoGás permite uma poupança até 45% em relação aos combustíveis tradicionais, uma vez que o seu preço é, aproximadamente, metade do da gasolina, embora o consumo seja superior.

As empresas do setor automóvel parecem cada vez mais focadas na aposta na eletrificação. No futuro haverá lugar para o gás como alternativa?

Acreditamos que a transição energética, para ser efetiva, e não excluir ninguém, deverá ser gradual, aproveitar as infraestruturas existentes e não negligenciar nenhuma ciência, sob pena de não salvaguardarmos a segurança energética. Para além disso, devemos ter em consideração que, neste momento, a eletrificação não é solução para todos os setores. 

O AutoGás deverá ser contemplado, da mesma forma que a eletricidade, os biocombustíveis, os combustíveis sintéticos, o gás natural veicular ou o hidrogénio. Este coletânea e diversificação energética é o roteiro correto para a descarbonização. Muito recentemente, um grupo de 171 cientistas e investigadores, de vários países, enviaram uma carta aberta conjunta à Comissão Europeia, alertando para o risco de não cumprimento dos objetivos de proteção do clima a longo prazo no setor dos transportes, mesmo pela falta de neutralidade tecnológica, com uma promoção imoderada da mobilidade elétrica. Para estes especialistas, os combustíveis alternativos sustentáveis são mais eficazes, na medida em que, para além de terem efeitos imediatos na redução de emissões, não requerem de uma nova infraestrutura de abastecimento. Voltando à questão, sim, o AutoGás deverá ser contemplado nesta fase de transição energética, assim como os demais combustíveis alternativos.

Notícias ao Minuto

Na sua opinião, os custos para que um automóvel possa tornar-se movível a gás, afasta potenciais interessados?

Os custos de reconversão variam entre os mil e os mil e quinhentos euros, em alguns casos. Não obstante, existem já fabricantes automóvel que comercializam viaturas bi-fuel, com dois depósitos (gasolina e AutoGás), que podem ser utilizados de forma intermutável, sem alterar a experiência de condução.

Mais do que um custo, utilizaria a expressão investimento, pois, no final, é mesmo disso que se trata: um investimento que poderá ser amortizado ao longo dos anos, com a poupança no momento de abastecer. No caso da Repsol, estamos, atualmente, com uma campanha de desconto imediato em abastecimentos de AutoGás superiores a 20 euros, uma campanha usual em combustíveis aditivados, mas não neste combustível alternativo. Ou seja, este tipo de divulgação, coadjuvado com descontos poderá ser importante para o consumidor num momento de decisão.

Quantas vantagens consegue enumerar no que diz respeito à utilização de AutoGás por parte dos condutores?

O AutoGás tem inúmeras vantagens, desde logo na componente ambiental, segundo os dados da Associação Europeia de Gás Liquefeito, reduz as emissões de NOx em 68% e de partículas até 100%. Desta forma, contribui para reduzir o efeito de estufa, reduzindo as emissões de CO2 em 14% e minimizando os níveis de ruído em 50%. Os veículos movidos a AutoGás mantêm prestações similares aos combustíveis tradicionais, mas com menos emissões.

Na vertente económica, também acarreta vantagens, na medida em que garante uma poupança até 45% em relação aos combustíveis tradicionais, como já referi. No que concerne à autonomia, tendo este tipo de veículos dois depósitos (gasolina e AutoGás), que podem ser utilizados de forma intermutável, sem alterar a experiência de condução, têm uma maior autonomia. A experiência de conduzir um automóvel a GPL Auto será muito semelhante, e em muitos casos superior, à de conduzir um automóvel a gasóleo ou a gasolina. Além disso, não são apenas os automóveis ligeiros que podem utilizar esta fonte de energia, pois as carrinhas, os autocarros e mesmo os empilhadores, também podem.

Quer aproveitar e terminar com o mito de que os automóveis com GPL não são seguros?

O GPL Auto é comprovadamente seguro. Está sujeito às mesmas normas de qualidade e segurança que os outros combustíveis. Os tanques das viaturas movidas a AutoGás são cerca de 20 vezes mais resistentes e podem suportar mais pressão do que os tanques de gasolina. Os regulamentos que cumpre são desenvolvidos por peritos em organizações reconhecidas, tais como a União Europeia. Desta forma, o combustível alternativo mais utilizado no mundo é tão seguro como outros combustíveis utilizados em automóveis, com uma baixa classificação de inflamabilidade.

Notícias ao Minuto Rui Aires, Diretor do Negócio de Estações de Serviço em Portugal© Repsol  

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Gosta de automóveis? Toda a informação num clique

Seja a Gasolina, diesel, elétricos, hidrogénio e dicas, acompanhe as mais recentes novidades sobre desporto motorizado

Obrigado por ter ativado as notificações de Auto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório