Meteorologia

  • 22 JULHO 2017
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 18º

Edição

Idosa que matou outra à bengalada considerada inimputável

A idosa que matou outra à bengalada o ano passado foi condenada por homicídio simples e terá de cumprir três a 16 anos de internamento num hospital psiquiátrico, avança a TVI 24.

Idosa que matou outra à bengalada considerada inimputável
Notícias ao Minuto

10:58 - 21/03/17 por Notícias Ao Minuto com Lusa

País Justiça

O Tribunal Judicial de Beja considerou a mulher de 70 anos esquizofrénica mas consciente dos seus atos.

A idosa, que não compareceu hoje na leitura da sentença, matou uma colega de quarto de 88 à bengalada num lar de Ourique, em 2016.

Foi condenada por homicídio simples, e não por homicídio qualificado, por ser considerada inimputável.Terá de cumprir três a 16 anos de internamento num hospital psiquiátrico. 

Na única sessão do julgamento, que decorreu no dia 13 deste mês, após lida a acusação, a cargo do Ministério Público (MP), a arguida não quis prestar declarações, foram ouvidas as testemunhas e feitas as alegações finais.

A idosa está, desde 10 de maio de 2016, internada preventivamente no Hospital Sobral Cid do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, em substituição da medida de coação de prisão preventiva, que lhe foi decretada pelo Tribunal de Ourique.

No dia do crime (8 de maio de 2016), quando as duas idosas estavam no quarto, a arguida iniciou uma discussão com a vítima pelo facto de esta lhe ter dirigido expressões ofensivas e, por esta razão "unicamente", decidiu tirar-lhe a vida.

A idosa abeirou-se da vítima, que estava deitada na cama e, "de imediato", desferiu-lhe diversos golpes na face com uma das mãos fechada ao mesmo tempo que com a outra a agarrava para que "não se pudesse movimentar, beneficiando da sua superior estrutura física".

Logo de seguida, com uma bengala de madeira, que estava junto da cama e pertencia à colega e aproveitando-se do facto de esta estar "totalmente indefesa", desferiu "diversas, fortes e repetidas pancadas", que atingiram todo o corpo da vítima, em especial a cabeça, a cara, o tronco e os braços, provocando-lhe lesões, que determinaram a sua morte.

Campo obrigatório