Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Crato promete medidas face a docente acusado de abuso sexual

O Ministro da Educação, Nuno Crato, garantiu esta segunda-feira que serão tomadas “rapidamente” medidas relativas ao recém-eleito director de um agrupamento escolar, acusado de abuso sexual de menores, e que o processo será investigado pela Inspecção.

Crato promete medidas face a docente acusado de abuso sexual
Notícias ao Minuto

13:10 - 13/05/13 por Lusa

País Educação

De acordo com o jornal Expresso, o professor eleito este mês para director de um agrupamento de 14 escolas com 2800 alunos entre os três e os 18 anos foi condenado a três anos de pena suspensa por crimes contra um rapaz de 13 anos.

“O assunto está a ser averiguado e serão tomadas rapidamente as medidas necessárias”, afirmou hoje o Ministro da Educação e Ciência (MEC), Nuno Crato, em declarações aos jornalistas à margem da apresentação do Diagnóstico sobre o Sistema Científico em Portugal, que decorreu hoje em Lisboa.

"Acima de tudo está a segurança e o respeito que os nossos alunos nos merecem", afirmou Nuno Crato, garantindo que "a Inspecção verá o que se passa e fará o que for necessário".

O responsável voltou a reafirmar que o ministério desconhecia o processo judicial: “O que é imputado ao professor não estava no processo”.

Os encarregados de educação criticam precisamente essa situação. "Como é possível que o senhor em questão tenha sido nomeado e o Ministério não tenha conhecimento da sua condenação?", questiona o presidente da Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais (FERLAP), Isidoro Roque, num oficio enviado para o MEC.

Os pais exigem o afastamento "imediato" do professor das escolas e alertam que caso aconteça alguma coisa a alguma criança ou jovem as responsabilidades serão atribuídas a Nuno Crato.

"Responsabilizo V. Exa. por todos os acontecimentos que advenham da continuidade do Senhor em questão, tanto nas funções para que foi nomeado pelo Ministério a que preside, bem como outras que impliquem o relacionamento directo com Crianças e/ou Jovens, promovidas pelo Ministério da Educação e Ciência", refere Isidoro Roque, exigindo "o imediato afastamento do senhor em causa, de qualquer função que lhe permita o contacto directo com crianças e jovens".

Também a presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária Braamcamp Freire enviou uma carta no domingo ao MEC exigindo que informe a associação sobre se o caso relatado se refere ao seu agrupamento. "Queremos que o ministério nos diga quem é. Se for este senhor, ele terá de ser afastado imediatamente", sublinhou a presidente da associação de pais, Angela Quintanilha, em declarações à Lusa.

A associação de pais também pede o “imediato afastamento” do professor: “Entende a Associação de Pais que qualquer indivíduo que seja condenado por crime de pedofilia não pode desempenhar funções que lhe permitam estar em contacto directo com crianças”.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório