Mudança em horários de docentes de 1º ciclo vale ação contra ministério

Ação dá entrada no tribunal na próxima quinta-feira.

© Getty Images
País Fenprof

A Fenprof vai avançar com uma ação coletiva contra o ministério da Educação que dará entrada esta quinta-feira, pelas 10h00, no Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra, dá conta o sindicato em comunicado.

PUB

O alvo é o ministério mas em causa estão alterações ainda no tempo do anterior executivo, quando o ministério era tutelado por Nuno Crato. Mas o atual Governo também não é poupado a críticas.

“O motivo desta ação prende-se com o facto de o anterior governo ter agravado, ilegalmente, o horário de trabalho dos professores do 1.º ciclo do ensino básico em mais duas horas e meia”, explica a Fenprof em comunicado.

A Fenprof queixa-se ainda de, após “diversas reuniões com os membros do atual Governo”, a situação ter-se mantido, apesar de ter feito propostas que o ministério “sempre recusou”.

“Perante a inexistência de medidas por parte da equipa ministerial, resta juntar às tentativas de negociação, a luta e a ação jurídica”, afirma a Fenprof, que vai assim pedir a declaração de ilegalidade da norma do artigo que levou ao “agravamento do horário dos professores do 1º ciclo”.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser