Meteorologia

  • 25 MAIO 2018
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

Multas nas portagens foram anuladas e podem até ser ilegais

O tribunal Administrativo e Fiscal de Braga anulou seis contraordenações aplicadas pelas Finanças por não pagamento de portagens em autoestradas e ex-SCUT. Poderá estar lançado o mote para provar que existe ilegalidade nestas coimas, refere o Jornal de Notícias.

Multas nas portagens foram anuladas e podem até ser ilegais
Notícias ao Minuto

08:49 - 14/01/15 por Notícias Ao Minuto

País Braga

O tribunal Administrativo e Fiscal de Braga anulou seis contraordenações aplicadas pelas Finanças por não pagamento de portagens em autoestradas e ex-SCUT, avança o Jornal de Notícias.

A decisão teve em conta o facto de, em dois dos casos, não ser possível provar quem conduzia a viatura e, nos outros quatro, o facto de não ser explícita a moldura contraordenacional aplicada.

Apesar da anulação das coimas, cada uma delas num valor de cerca de 140 euros, o automobilista acaba sempre por ser prejudicado, dado que para recorrer teve que dispensar 102 euros.

O Estado será ainda alvo de uma ação popular para que a lei seja anulada.

Para a advogada Sandra Azevedo, as decisões não fazem jurisprudência mas podem criar uma tendência nos tribunais provando que existe alguma ilegalidade nestes casos. Defende por isso que é necessário uma ação popular contra o Estado para fixar essa jurisprudência. A advogada refere, igualmente, que o Fisco está a violar o princípio da legalidade tributária.

Recorde-se que 50 minhotos rejeitaram 800 multas por falta de pagamento de portagens nas ex-Scut. No total, as Finanças têm 2,79 milhões de euros para cobrança referentes a 130.957 execuções fiscais a donos e condutores de veículos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.