Ex-autarca dirigia empresa... e recebia subsídio de desemprego

As Finanças estão a investigar o ex-vice-presidente da Câmara de Oliveira do Bairro, Joaquim Barros, por suspeitas de receber, simultaneamente, o subsídio de desemprego e o salário que recebia por dirigir uma empresa de betão, conta o Jornal de Notícias.

© DR
País Oliveira do Bairro

Joaquim Santos foi vice-presidente da Câmara de Oliveira do Bairro, em Aveiro, durante oito anos. Quando deixou o cargo, em outubro do ano passado, não tardou em encontrar outro emprego, segundo contam os populares, numa firma que prestava serviços à autarquia.

PUB

Até aqui tudo bem, não fosse o facto de o engenheiro de profissão estar a receber, desde novembro, o subsídio de desemprego no valor de 1.048 euros mensais, segundo o Jornal de Notícias (JN).

O dinheiro oriundo da Segurança Social (SS) era acumulado com o salário de dirigente da empresa de betão Tavares e Filhos, Lda., de acordo com as suspeitas de que a SS e a Autoridade Tributária e Aduaneira já têm conhecimento.

Segundo o professor de Direito Mário Frota, ouvido pelo JN, o homem pode vir a responder pelos crimes de fraude contra a Segurança Social e burla tributária, sendo obrigado a devolver o dinheiro que recebeu sob a forma de subsídio de desemprego, acrescido de juros, a que se soma uma multa contraordenacional por causa da alegada fuga ao pagamento de IRS.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser