AO MINUTO
topo
A caminho de Machu Picchu! por: Vippy.tv

Professores Fenprof defende que Guia da prova de avaliação é "uma idiotice"

O secretário-geral Federação Nacional dos Professores (Fenprof) classificou hoje uma "idiotice" o guia de prova de acesso à carreira dos docentes e ameaçou com várias formas de protesto até ao dia da avaliação.
País
Fenprof defende que Guia da prova de avaliação é uma idiotice Fenprof defende que Guia da prova de avaliação é uma idiotice Fenprof defende que Guia da prova de avaliação é uma idiotice
Lusa

Segundo o Guia da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades, divulgado pouco antes da meia-noite de quinta-feira, os professores que na construção do texto da prova tenham mais de dez erros de ortografia, de pontuação ou de morfologia serão classificados com zero valores nesse item.

PUB

"Estamos perante a estupidez assumida pelos responsáveis do Ministério da Educação, isto não tem sentido nenhum", comentou à agência Lusa Mário Nogueira.

No entanto, o secretário--geral da Fenprof disse não ter ficado surpreendido com o tipo de prova apresentado.

"Quanto mais idiota esta prova fosse, mais nós deixávamos de estar surpreendidos, porque na verdade esta prova é uma idiotice, não faz qualquer tipo de sentido", afirmou.

Mário Nogueira adiantou que os professores que vão realizar a prova fizeram um curso de formação específica com profissionalização para a docência.

"Estamos a falar, na maior parte, de professores que trabalham há 20 anos, que têm tido excelentes, muito bons e bons", sublinhou o secretário-geral da Fenprof.

Para Mário Nogueira, esta prova "é humilhante e inqualificável", que tem como objetivos "pôr na rua" os professores.

Depois de terem demitido os professores precários, "agora é a fase seguinte", afirmou Mário Nogueira.

"Estes professores vão pagar a bala para serem abatidos", comentou, disse ainda, referindo-se aos 20 euros que os docentes vão ter de pagar para realizar a prova

"Isto é brincar com as pessoas, gozar com as pessoas", declarou, considerando que "um ministro e um secretário de Estado que têm este tipo de comportamento" têm de ser demitidos "rapidamente", defendeu.

Mário Nogueira reiterou que esta prova "não faz sentido e não se pode fazer", anunciando ações de protesto.

"Faremos tudo nos tribunais, faremos greve. Vamos ver até ao próprio dia o que vamos fazer, mas até no próprio dia podemos fazer", considerou, acrescentando que é "um insulto" a uma classe profissionalizada.

A prova de avaliação será composta por 32 itens de seleção (escolha múltipla) e um "item de construção", no qual é pedido aos docentes que escrevam um texto segundo o Acordo Ortográfico atualmente em vigor com um número de palavras compreendido entre 250 e 350.

As perguntas de escolha múltipla vão valer 80% da prova, enquanto o "item de construção" corresponderá a 20% do total, segundo informação disponibilizada no site do Instituto de Avaliação Educativa.

"Os erros de acentuação e de translineação, assim como o uso indevido de letra minúscula ou de letra maiúscula inicial também são considerados erros de ortografia.

A prova destinada aos docentes sem vínculo à função pública está marcada para o dia 18 de dezembro.

 

Regras de conduta dos comentários
21:55 - 16 de Novembro de 2014
Artigo patrocinado por TAP
PUB
Os principais destaques todos os dias no seu email.
Preencha correctamente o seu Email.
PUB
PUB
RECOMENDAMOS PARA SI CR7 partilha 'lição de vida' de um doente português