Meteorologia

  • 29 JULHO 2017
Tempo
26º
MIN 26º MÁX 26º

Edição

Empresário de media pede a Nicolás Maduro que deixe o poder

O presidente da Rádio Caracas Televisão (RCTR), Marcel Granier, afirmou hoje que a única solução para a crise venezuelana passa pelo presidente Nicolás Maduro deixar o poder e por se constituir "um governo de transição" que convoque eleições.

Empresário de media pede a Nicolás Maduro que deixe o poder
Notícias ao Minuto

16:44 - 20/05/17 por Lusa

Mundo Venezuela

"Maduro deve sair e deve formar-se um governo de transição, de entendimento nacional, que se preocupe com os problemas urgentes das pessoas e que convoque eleições depois de eliminar as armadilhas do sistema atual", disse o empresário numa entrevista à agência EFE em Washington.

Em maio de 2007, a cadeia de televisão privada presidida por Granier, cuja linha editorial é crítica do chavismo, teve de deixar de emitir em sinal aberto depois de o governo liderado por Hugo Chávez, que entretanto morreu, não lhe ter renovado a licença para operar com o argumento de que era uma "empresa golpista".

Após este incidente, esta cadeia de televisão tentou emitir através de cabo, por satélite e pela internet, tendo encontrado sempre o "bloqueio" do governo venezuelano.

Atualmente, a RTCR dedica-se à produção de conteúdos à espera que haja uma mudança de governo no país para então voltar a emitir em sinal aberto.

Depois de anos a esperar pela mudança, Granier não se atreve a fazer prognósticos, mas diz que "finalmente" a oposição "entendeu que tem de ter um objetivo prioritário", e que este "é a saída do Presidente Maduro do Governo".

O empresário considera também que "é urgente" porque a situação na Venezuela "é intolerável", já que "ninguém resolve os problemas fundamentais da insegurança, inflação, escassez de alimentos e medicamentos ou a deterioração brutal da educação".

Marcel Granier disse ainda à EFE estar convencido de que o chavismo não vai convocar eleições regionais, nem presidenciais (previstas para 2018) "se pensar que as vai perder".

E, neste contexto, e numa situação de "quada do poder" por parte de Madura, o empresário adverte para a possibilidade de ocorrer "um golpe militar".

Sobre a atitude dos Estados Unidos em relação à Venezuela, entende que "é muito mais decidida" que a do seu predecessor Barack Obama.

Campo obrigatório