Queixosa sueca "chocada" com abandono de processo contra Assange

A sueca que acusa Julian Assange de violação declarou-se "chocada" e considerou "um escândalo" a decisão da procuradoria sueca de abandonar o processo contra o fundador do WikiLeaks, mantendo as acusações, afirmou hoje a sua advogada.

© Reuters
Mundo Advogada

"É um escândalo que um presumível violador possa escapar à justiça e assim evitar os tribunais. Existem provas neste caso e estas provas deveriam ser analisadas durante um julgamento", declarou a advogada Elisabeth Fritz numa mensagem de correio eletrónico dirigida à agência France-Presse.

PUB

"A minha cliente está chocada e nenhuma decisão (...) pode alterar o facto de que Assange a violou", adiantou.

Esta queixosa, com cerca de 30 anos na altura dos factos, espera há cerca de sete anos que o australiano de 45 anos seja acusado.

A procuradoria da Suécia anunciou hoje que abandona o processo por violação contra Assange, mas a procuradora Marianne Ny recusou pronunciar-se sobre a culpa ou inocência do fundador do WikiLeaks.

A procuradora explicou que o arquivamento se deve à falta de qualquer perspetiva de vir a conseguir a extradição de Assange, pelo que foi igualmente decidido revogar o mandado de detenção europeu de que é alvo.

A procuradoria da Suécia indicou, no entanto, que o processo pode ser reaberto até à prescrição do delito, em 2020.

Assange, que se refugiou na embaixada do Equador em Londres em 2012 para escapar ao mandado de detenção europeu emitido pela Suécia, sempre negou as acusações, alegando que as relações sexuais com a queixosa foram consentidas.

Argumenta que o mandado de detenção é uma manobra para conseguir a sua extradição para os Estados Unidos, onde pode ser processado pela publicação de documentos militares e diplomáticos confidenciais.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser