Venezuela: Exército dá a atiradores ordem para matar manifestantes

“Quando começarem a ver mortos, vai toda a gente ficar em casa. As Forças Armadas é que vão ter de resolver isto”, afirmou general.

© Reuters
Mundo Protesto

Uma gravação de áudio de uma reunião entre altos dirigentes das Forças Armadas venezuelanas revelam a clara intenção de matar manifestantes no país.

PUB

“Quando começarem a ver mortos, vai toda a gente ficar em casa. As Forças Armadas é que vão ter de resolver isto”, afirmou um dos generais do exército da Venezuela, numa reunião datada de 22 de abril.

“Isto é o começo de uma guerra”, disse o general Torrealba Pérez, momentos antes de ser questionado por um dos assistentes sobre a constitucionalidade da ordem dada. Segundo o jornal espanhol ABC, a inconstitucionalidade é assumida, mas justificada pelo facto de o país estar “num estado excecional em que tudo é permitido”.

Na mesma gravação, tornada pública por um dos presentes na reunião, ouve-se ainda uma apreciação sobre os atiradores escolhidos para acatar a ordem de disparo: devem ser pessoas capazes de aguentar a pressão psicológica ao atirar contra civis.

Recorde-se que, nos últimos meses, mais de 40 pessoas morreram durante protestos na Venezuela, sendo que a maioria foi atingida pela polícia.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser