Meteorologia

  • 26 JULHO 2017
Tempo
29º
MIN 25º MÁX 31º

Edição

EUA bombardeiam coluna pró-regime perto da fronteira com a Jordânia

Os Estados Unidos bombardearam uma coluna pró-regime sírio perto da fronteira com a Jordânia que foi considerada uma ameaça pelas forças internacionais envolvidas na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), anunciou hoje um responsável americano.

EUA bombardeiam coluna pró-regime perto da fronteira com a Jordânia
Notícias ao Minuto

20:05 - 18/05/17 por Lusa

Mundo Síria

A coluna de veículos "não respondeu" aos avisos para "não se aproximar muito perto das forças da coligação internacional em At-Tanf", um campo de rebeldes sírios apoiados pelos Estados Unidos e pelos seus aliados, indicou um responsável da área da Defesa norte-americana, em declarações à agência noticiosa francesa AFP.

Segundo a mesma fonte, esta situação tratou-se de um incidente pontual e não representa uma mudança da estratégia da coligação que só luta contra os 'jihadistas' na Síria.

"Não atingimos toda a coluna, apenas alguns veículos que estavam à frente", precisou o mesmo responsável.

Antes do bombardeamento, foram emitidos avisos através de uma linha de comunicação especial que foi criada pela Rússia, um aliado do regime de Damasco, para evitar incidentes entre os aviões russos e os aparelhos das forças da coligação internacional no espaço aéreo sírio, disse o responsável.

Para tentar travar a coluna, os aviões fizeram "uma demonstração de força" e realizaram "tiros de advertência", afirmou a fonte da Defesa norte-americana.

"Não tínhamos a certeza se eram forças sírias, mas eram forças que trabalhavam claramente com os sírios", acrescentou.

Os Estados Unidos e os seus aliados da coligação internacional de luta contra o EI não bombardeiam forças com ligações ao regime de Damasco.

A exceção aconteceu no início de abril quando as forças americanas bombardearam a base aérea síria de Al-Chaayrate, na sequência de um ataque com armas químicas atribuído ao regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad.

A coligação também reconheceu ter atingido "por erro" em finais de setembro passado combatentes do regime sírio perto de Deir Ezzor, no leste da Síria.

Na altura, a coligação identificou erradamente os elementos das forças sírias como 'jihadistas'.

Campo obrigatório