Terroristas mortos planeavam ataques contra embaixada dos EUA

A polícia da Indonésia informou hoje que os seis suspeitos de terrorismo mortos na véspera de Ano Novo, perto de Jacarta, tinham planeado uma série de ataques contra a embaixada dos EUA, uma igreja e templos budistas.

Lusa
Mundo Indonésia 09:33 - 03/01/14

Após uma intensa troca de tiros, que se prolongou por nove horas, com os seis homens numa casa, nos arredores da capital, a polícia descobriu um documento, escrito à mão, revelando os alvos do grupo, disse o porta-voz da polícia nacional, Boy Rafli Amar.

PUB

"Peguem nas vossas armas 'sagrados guerreiros' e preparem-se para atacar a embaixada dos Estados Unidos", dizia o documento lido pelo responsável em conferência de imprensa. Ataques suicidas faziam também parte dos planos, aditou.

No documento estavam listados entre os alvos "hotéis que 'dão guarida' à CIA", polícias antiterrorismo, sendo que, de acordo com o chefe da Polícia Nacional, Sutarman, os planos contemplavam um ataque a uma igreja e a templos budistas para vingar a violência cometida contra os muçulmanos na Birmânia, de maioria budista.

Segundo a polícia, o mesmo grupo terá estado por detrás de um atentado bombista contra um templo budista, em agosto do ano passado, que deixou um ferido.

A polícia ligou os homens a uma célula anteriormente liderada por Abu Roban, morto numa operação no ano passado. Sutarman afirmou que a célula em causa é suspeita de ter vínculos à organização terrorista Al-Qaida.

"Um dos homens, de acordo com documentos [apreendidos], planeava ainda ir para a Síria pela jihad ("guerra santa"), onde pretendia levar a cabo um ataque bombista suicida", acrescentou Sutarman, citado pela AFP.

A Indonésia tem sido atingida por inúmeros ataques terroristas na última década, incluindo os atentados bombistas de 2002 contra a ilha turística de Bali, que causaram 202 mortos, a maioria dos quais estrangeiros.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS
RELACIONADOS