Macedo admite subida "sem correrias" das comissões bancárias na CGD

O presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Paulo Macedo, reconheceu hoje que o banco tem que aumentar as comissões em 100 milhões de euros para cumprir o plano aprovado por Bruxelas, mas realçou que tal será feito em quatro anos.

© DR
Economia Presidente

"O aumento de comissões de 100 milhões de euros em quatro anos é o que está no plano", afirmou, durante a apresentação das contas trimestrais, mas garantiu que o banco estatal não vai ter o preçário mais caro do mercado.

PUB

Paulo Macedo sublinhou que "a CGD não vai ser de certeza o banco com as comissões mais elevadas, mas a CGD tem que receber comissões pelos seus serviços", apontando para a existência de "bancos com menor volume de negócios e com maiores comissões".

"Não temos nenhuma correria", rematou.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser