Meteorologia

  • 25 JUNHO 2017
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 20º

Edição

Ministro quer planos estratégicos para definir futuro e sustentabilidade

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas disse hoje que o aumento da qualidade de vida das populações e a sustentabilidade económica do território, passa pelas regiões definirem planos estratégicos que definam os seus futuros.

Ministro quer planos estratégicos para definir futuro e sustentabilidade
Notícias ao Minuto

21:38 - 18/05/17 por Lusa

Economia Regiões

"Se fizermos tudo a pensar no já ou no hoje, vamos ter muito menos capacidade de construir um futuro melhor", disse aos jornalistas o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, à margem da visita que efetuou à Smart Regional Summit, em Portimão.

Idealizada pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), entidade que representa as 16 câmaras municipais algarvias, a Smart Regional Summit" é um fórum que reúne empresas de vários setores económicos, ao mesmo tempo que pretende colocar os municípios a pensar, em conjunto, novas formas de definir uma política de transportes intermodal, com recurso às novas tecnologias amigas do ambiente.

"Estes eventos são muito importantes no sentido de pensar o futuro para as regiões, e este no contexto que a AMAL e as entidades regionais têm vindo a assumir, no sentido de pensar o futuro do Algarve", sublinhou Pedro Marques.

Na opinião do ministro, tendo a região do Algarve a felicidade de ter um nível de coesão territorial muito forte, embora com desafios muito importantes, nomeadamente o da sua dependência do turismo, "os eventos desta natureza são essenciais para tratar de questões importantes como o da mobilidade".

"São espaços de reflexão e de debate de problemas críticos para a qualidade de vida e também para a própria sustentabilidade económica da região, e é assim que se faz futuro, ao qual tive o maior prazer em associar-me", sublinhou o governante.

Para Pedro Marques, a iniciativa organizada pela AMAL, "é de pensamento estratégico", ao contrário daquilo a que estamos habituados, que são soluções para o imediato e que apareçam soluções mágicas de um momento para o outro".

"Nós não vamos conseguir ter o Algarve que queremos em 2030, se ele não for pensado agora. Penso que é isso que a AMAL está a fazer nesse momento, ao refletir com atores da região, do país e com o melhor pensamento científico, para projetarmos o Algarve para daqui a uma década, década e meia", destacou.

Segundo Pedro Marques, o pensamento "no já ou no hoje", limita a capacidade de construir um futuro melhor, no qual o pensamento estratégico tem de contrariar a tendência que existe em se viver no tempo imediato".

"Não pode ser assim. Estaremos a enfrentar um processo decisivo, como a negociação do próximo ciclo de programação de fundos comunitários, que vai ser negociado a partir do segundo semestre deste ano, e é preciso que a região saiba o que quer ser no final do próximo ciclo, para que possa lutar com o Governo em Bruxelas pelo financiamento para essas políticas", concluiu Pedro Marques.

A Smart Regional Summit decorre até sábado no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório