Meteorologia

  • 27 MAIO 2018
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 17º

Edição

"Apropriação cultural e desrespeito": Boomerang da Chanel lança polémica

Por 'apenas' 1.800 euros, os clientes de uma das marcas de moda mais famosas do mundo podem ser donos de um objeto tribal australiano. No entanto, a alegada má utilização de um artefato culturalmente relevante está a valer críticas.

"Apropriação cultural e desrespeito": Boomerang da Chanel lança polémica
Notícias ao Minuto

06:50 - 20/05/17 por Bruno Mourão

Economia Luxo

Os boomerangs são conhecidos em todo o mundo pela forma fascinante com que parecem 'contornar' as leis da física e manter-se num movimento que os faz regressar ao mesmo ponto de onde partiram. 

Utilizados originalmente pelos aborígenes australianos, os objetos passaram a fazer parte do imaginário coletivo da cultura popular mundial e foram reproduzidos nas mais variadas formas e feitios para serem comercializados pelos quatro cantos do planeta. No entanto, parece ter caído a última gota na vaga de alegada utilização abusiva dos boomerangs, graças a uma versão criada pela Chanel. 

Como conta o Independent, a marca francesa disponibilizou no seu site um boomerang de madeira tratada com resina e trabalhado com as mãos e mentes dos designers e artistas da Chanel, com um preço que está a escandalizar o mundo: cerca de dois mil dólares (1.800 euros). 

As reações na internet não se fizeram esperar e incluem dezenas de comentários irónicos e negativos, falando em "apropriação cultural", "desrespeito", e falta de conhecimento da cultura aborígene.

Em resposta às críticas, a Chanel lamentou que algumas pessoas tenham ficado ofendidas e explicou a criação do objeto: "Inspirámo-nos em atividades de lazer de todo o mundo e não tínhamos qualquer intenção de desrespeitar os aborígenes e a comunidade de ilhéus de Torres Strait ou a sua contribuição para o simbolismo cultural do boomerang". 

O objeto foi incluído numa linha de produtos de desporto que inclui uma raquete de ténis de 1.500 euros, um saco de bolas de ténis de 380 euros e um conjunto de raquetes e bolas de praia que custa mais de 3.300 euros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.