Meteorologia

  • 17 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Empresa de Coimbra cria técnica para conceber próteses mais confortáveis

Uma empresa de Coimbra integra um consórcio europeu para desenvolver uma técnica inovadora que permitirá "desenhar e conceber rapidamente" próteses mais confortáveis para membros inferiores amputados, anunciou hoje o Instituto Pedro Nunes (IPN).

Empresa de Coimbra cria técnica para conceber próteses mais confortáveis
Notícias ao Minuto

14:41 - 04/02/15 por Lusa

Economia IPN

Apoiado pela Comissão Europeia com quatro milhões de euros, o projeto SocketMaster permitirá o fabrico de "uma prótese com elevada qualidade, otimizada e com um encaixe perfeito", realçando que a sua produção será "menos dependente da competência" de cada profissional protético.

"O grande objetivo é tornar a prótese mais confortável para o amputado e diminuir o tempo de fabrico", disse à agência Lusa Carlos Alcobia, docente do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra e um dos fundadores da empresa Sensing Future Technologies.

O projeto em que participa a empresa de Coimbra, financiado no âmbito do novo programa comunitário Horizonte 2020 -- Investigação e Inovação, arrancou esta semana e inclui a realização de mais de 50 ensaios clínicos, com o objetivo de desenvolver "uma nova técnica de 'design' e fabrico rápido de próteses otimizadas" para membros inferiores.

Criada em 2012 e instalada na incubadora do IPN, a Sensing Future desenvolve dispositivos médicos que resultam da aplicação de conhecimentos na área das engenharias à saúde.

Os trabalhos decorrerão ao longo dos próximos três anos, com cinco profissionais da 'start-up' portuguesa envolvidos na "realização dos testes de 'hardware' e 'software' do sistema", disse Carlos Alcobia.

A proposta apresentada à Comissão Europeia obteve uma classificação de 14,5 pontos em 15, com duas pontuações máximas nos itens de "Excelência do consórcio" e "Impacto".

"Trata-se de um projeto ambicioso que promete fornecer aos amputados próteses otimizadas e que podem ser concebidas e fabricadas num curto espaço de tempo", de acordo com o IPN, realçando que, nos países desenvolvidos, "mais de 90% dos amputados alcançam a sua mobilidade" através do uso de próteses.

O projeto SocketMaster aposta numa "melhor qualidade de vida para o utilizador de prótese", cujo conforto "é uma questão crucial" para os fabricantes e os prestadores de cuidados de saúde.

A nova técnica passa por "integrar diversos microssensores numa meia, que ajudará o profissional protético a desenhar e conceber rapidamente" as próteses para membros inferiores.

"Através destes sensores, espera-se recolher uma quantidade abrangente de dados do utilizador durante as suas atividades de rotina. Esses dados irão depois ser utilizados para a otimização e conceção 3D da prótese, que poderá ser fabricada numa máquina de prototipagem rápida", explica uma nota do IPN.

Além da portuguesa Sensing Future, o projeto envolve a Innora (Grécia), a Fondazione de Bruno Kessler (Itália), a Veneto Nanotech SCPA (Itália), a Polkom Badania SP ZOO (Polónia), a University of Surrey (Reino Unido), a Hugh Steeper Limited (Reino Unido) e a TWI (Reino Unido), que lidera o consórcio.

A primeira reunião de trabalho com todos os parceiros realiza-se na próxima semana, no Reino Unido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório